Pós-Graduação: Livro Epístola a Tito

Pós-Graduação: Livro Epístola a Tito

R$ 7.00

Logo no início a carta contém a nota usual sobre o remetente (Paulo) e o destinatário (Tito), e uma saudação (“graça e paz”). O autor é apóstolo e “servo de Deus”, descrição bíblica comum sobre alguém designado por Deus (cf. 2Sm 7,5) usada por Tiago (Tg 1,1) e em 2Pedro (1,1). O que é incomum neste início de carta é o extenso comentário sobre o propósito da missão confiada ao autor. Essa missão não é só levar os pagãos à fé, mas também promover “o conhecimento da verdade conforme à piedade”, o que sugere uma atuação mais fixa, mais prolongada do que a imagem de Paulo em Atos e suas cartas, correndo de cidade em cidade, fazendo conversões e seguindo adiante.

Categoria:

Tito é advertido sobre os falsos doutores, principalmente os convertidos do judaísmo. Paulo e a Igreja primitiva estavam envolvidos em um problema similar e persistente, a exigência de que os novos convertidos fossem circuncidados e obrigados a viver como judeus (Gl 5,1-2; Fl 3,19). É evidente que esse movimento errôneo persistiu na Igreja primitiva, pois é tratado com severidade em 1Timóteo, onde alguns queriam impor aos convertidos a lei do Antigo Testamento (1Tm 1,7) e as restrições dietéticas judaicas (4,3-4). Aqui, ele é uma ameaça à Igreja de Creta, impondo aos convertidos “preceitos de homens” (cf. Mc 7,7-8.13), em especial leis dietéticas. A afirmação do v. 15: “Tudo é puro para os que são puros” assemelha-se ao argumento de Paulo contra alimentos puros e impuros em Rm 14,20, função que também tem aqui. A resposta mais completa, claro, encontra-se em 1Tm 4,4, onde a bondade criadora de Deus toca todas as criaturas e, assim, não pode haver nenhuma criatura impura (ou “má”), em especial na nova criação iniciada com a ressurreição de Cristo. É evidente que as observâncias dietéticas judaizantes baseiam-se na má teologia ou em “fábulas judaicas”, como são chamadas nas Pastorais (1,14; lTm 4,7; 2Tm 4,4).

0

TOP

X