Pós-Graduação: Livro Epístolas de João – 1ª,2ª e 3ª

Pós-Graduação: Livro Epístolas de João – 1ª,2ª e 3ª

R$ 7.00

Os três escritos chamados Epístolas de João estão afastados do quarto Evangelho em nossa Bíblia. E a eles que agora devemos voltar nossa atenção. Como fizemos com o Evangelho, adiaremos o exame do que costuma ser tratado como questões introdutórias (autor, momento, data, comunidade, conteúdo teológico, inter-relação das três epístolas), até termos realmente encontrado o material que fornece as respostas existentes para tais problemas. A única questão introdutória que queremos enfrentar aqui é a da possível divisão da primeira Epístola de João. É uma questão difícil e confusa, pois a epístola é repetitiva e evasiva — como uma espiral, sugerem alguns autores, que dá voltas e voltas, mas com uma progressão definida, ainda que não muito perceptível. Embora os biblistas divirjam em sua análise do material, há consenso suficiente para propor a divisão a seguir como viável. Embora reconhecidamente muito geral, ajudará o leitor a distinguir elementos diversos e a sintetizá-los em uma unidade global.

Categoria:

Parte da mensagem para os cristãos é que há uma esfera de vida e justiça que pode ser chamada “luz”. É a esfera de Deus, pois “Deus é luz” (v. 5). Mas há também outra esfera, que é a das trevas, da inverdade, e há os que andam nela. Para estar em comunhão com Deus (v. 6) e uns com os outros (v. 7), precisamos andar na luz, purificados do pecado pelo sangue do Filho de Deus (v. 7). Essa purificação exige de nós um reconhecimento pessoal de nosso pecado, que será respondido pela purificação que vem de Deus. Fingir que nunca pecamos é, em si, uma mentira que continuaria a nos ligar à esfera das trevas (w. 8-10). Essa confissão de pecado não é, de modo algum, sinal de que o pecado não faz diferença na vida cristã. O propósito de nosso autor ao escrever é afastar os cristãos do pecado (2,1). Contudo, embora ele viva na luz, ela não o cega; ele vê que os cristãos podem pecar e, às vezes, ainda pecam. Cristo, entretanto, continua eficiente, como intercessor (Paráclito) e vítima de expiação pelo pecado, não só por nós, mas pelo mundo inteiro (2,1-2).

0

TOP

X